Colação especial: UEA coloca à disposição da saúde do Amazonas mais 42 novos médicos

A antecipação das colações de grau tem como base a Lei Federal n. 14.040, de 18 de agosto de 2020, que orienta as instituições de Ensino Superior a abreviarem a duração dos cursos.

Quarenta e dois estudantes da 28ª turma do curso de Medicina da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) receberam, antecipadamente, na manhã desta segunda-feira (25/01), a outorga de grau. A partir de agora, os novos profissionais estarão à disposição do Sistema Único de Saúde (SUS) para atuarem no Amazonas nas ações de combate ao novo coronavírus.

No total, 105 estudantes dos cursos de Enfermagem, Medicina e Odontologia da UEA receberão a outorga de grau nesta semana. A antecipação das colações está fundamentada na Resolução 002/2021 CONSUNIV-UEA que, em consideração à Lei Federal 14.040 e à Resolução 034/2020 do CEE-AM, autorizou os estudantes da área de saúde, que alcançaram 80% da carga horária total dos seus cursos, a terem abreviada a duração de seus cursos. Os estudantes da UEA que aceitaram colar grau antecipadamente, complementarão por 180 dias as suas atividades no Sistema Único de Saúde (SUS).

Em discurso, o Reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, falou da gratidão e da alegria da Gestão Superior em antecipar a colação de grau dos estudantes do curso de Medicina para disponibilizá-los, imediatamente, à rede pública de saúde do Estado, visando a união de esforço no enfrentamento à pandemia.

“Hoje é um dia de alegria, esperança e gratidão. Gratidão por estarmos vivos e recebermos essa graça de sermos médicas e médicos. Que os nossos caminhos sejam de amor e compaixão ao próximo, pois é a compaixão que nos define como profissionais. Longa vida à 28ª turma de Medicina da UEA. Vocês são o nosso orgulho, vocês são tudo que podemos produzir de melhor”, comentou.

O orador da turma, Luís Felipe Jacinto Rêgo, destacou que a celebração de colação de grau, de forma virtual e antecipada, deu um novo sentido às lutas travadas até o momento e as que continuarão a ser travadas no exercício da profissão.

“Superamos uma montanha russa de obstáculos nos últimos anos. Neste momento, deixamos de ser estudantes de Medicina para sermos, de fato, médicos. Esperamos nos juntarmos aos nossos mestres nesta batalha a favor da vida. Que não percamos a eterna alma de aprendizes, buscando sempre estudar para que possamos cada vez mais oferecer o melhor aos nossos pacientes. Que possamos honrar todos os esforços em nós depositados. Ao SUS, que os seus princípios sejam os nossos, e que sejamos agentes de transformação, cuja a necessidade faça jus à sua grandeza”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *