Terminal Pesqueiro é pauta de reunião entre Ministério da Agricultura, Seinfra e Aleam

Na manhã desta quarta-feira (19), os problemas estruturais do Terminal Pesqueiro Público de Manaus foram tema de uma reunião entre a Secretaria de Infraestrutura do Governo do Estado (Seinfra), a Divisão de Aquicultura e Pesca da Superintendência Federal de Agricultura e a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

De acordo com Chefe da Divisão de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura no Amazonas, Vinícius Picanço Lopes, a ação natural do tempo e falta de manutenção preventiva e corretiva impuseram desgastes à estrutura do Terminal, sendo necessária uma identificação quantitativa e qualitativa desses desgastes, para que se adotem as providências cabíveis. “A Seinfra, pela natureza de suas competências e pela expertise de seu quadro técnico, poderá ter um papel fundamental na identificação dos problemas e respectivas soluções, no que tange às atuais condições estruturais do Terminal Pesqueiro (TTP). Agradeço ao deputado Álvaro Campelo que já é um grande aliado, bem como, ao Governo do Amazonas que já vem se colocando como parceiro institucional nessa agenda”, afirmou Lopes.

Segundo o deputado Álvaro Campelo, que há vários anos acompanha a problemática, inclusive, tendo convocado Audiência Pública para discutir o assunto no ano de 2017, quando estava vereador de Manaus, as tratativas promovidas correspondem ao seu dever parlamentar com todo o segmento produtivo do Setor Pesqueiro no Estado do Amazonas. “Sigo à disposição dos pescadores, proprietários de embarcações pesqueiras, armadores de pesca e psicultores, para que o TTP de Manaus possa finalmente entrar em operação da forma devida, beneficiando milhares de trabalhadores e gerando benefícios para a economia do Estado”, afirmou o parlamentar.

Como desdobramento da reunião, Seinfra, Ministério da Agricultura e Aleam realizarão, na próxima segunda-feira (24), visita técnica às dependências do Terminal Pesqueiro, com o objetivo de elaborar um laudo técnico sobre as condições estruturais do equipamento público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *