Deputado diz que esposa do secretário da Sefaz é sócia de proprietário do consórcio que gerencia HPS Delphina Aziz e que sua ligação tem indícios de tráfico de influência

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) repercutiu nesta quarta-feira, 12, na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a denúncia veiculada pelo programa Amazonas Diário, na última terça-feira (11), de que Rosemeire Nunes Del Giglio, mulher do secretário de Fazenda do Estado (Sefaz), Alex Del Giglio, é sócia de José Ricardo Biazzo, um dos donos da Zona Norte Engenharia, Manutenção e Gestão de Serviços S.A, consórcio que gerencia o Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz. Além disso, o parlamentar revelou que José Ricardo também é dono da Magi Clean Serviços Prestados à Empresas Ltda, responsável por prestar serviços na unidade hospitalar da Zona Norte.

De acordo com a reportagem e em documentos do Portal da Transparência do Governo, constatou que Rosemeire e José Ricardo fundaram, em dezembro de 2019, a Profit Câmbio e Serviços Financeiros Ltda, uma corretora de títulos e valores mobiliários. Além disso, Wilker questionou a diferença dos pagamentos recebidos pela Zona Norte Engenharia, que recebeu R$ 22.982.064,60 em 2019 e, no primeiro semestre de 2020, já abocanhou R$ 82.801.512,67.

“Como uma PPP que recebeu R$ 20 milhões com dificuldades durante todo o ano de 2019, agora recebe R$ 82 milhões depois da mulher do secretário da fazenda virar sócia de um dos maiores fornecedores do Estado? Isso não é coincidência, e sim uma triangulação direta com influência direta do secretário da Fazenda”, explicou o deputado.

Outra denúncia levantada por Barreto é a sede das empresas Zona Norte Engenharia, Magi Clean e Profit Câmbio e Serviços, que funcionam no mesmo endereço.

“As empresas da PPP e a Profit funcionam no mesmo endereço e no mesmo andar, só que em salas diferentes. Uma funciona na sala 3 e outra na sala 4, isso é muita coincidência”, detalhou o parlamentar.

Por fim, Wilker afirmou que irá denunciar os contratos para os órgãos de controle do Estado. “Contra fatos, não há argumentos. Irei oficializar os órgãos de controle e denunciar esses contratos e esta Casa também precisa urgentemente dar um cuidado especial, porque se não for tráfico de influência por parte do secretário da Fazenda, eu não sei mais o que é”, ponderou.–

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *