O MINDSETS MOONSHOTS

Existem metodologias ou ainda mindsets que podem ser percebidos e harmonizados para a construção de uma nova realidade de negócio voltados aos ambientes  corporativos mantendo a cadeia de valor  totalmente isenta de falhas ou pelo menos preparadas para saná-la caso haja.

O QUE É MOONSHOTS ?

O termo moonshot, ou “voo à Lua” ou ainda, focar em grandes ideias, tem na sua mais completa tradução como uma metodologia, um instrumento usado para qualificar projetos de tecnologia que apetecem resolver grandes problemas, usando soluções radicais, tecnologias inovadoras, e que têm potencial de crescer dez vezes mais do que qualquer outro projeto.

Deveras conhecido por motivo da sua aplicação na Google, o Pensamento Moonshot mais icônico vem do presidente John F. Kennedy, quando proferiu em um discurso na Universidade Rice:

“Nós escolhemos ir à lua. Escolhemos ir à lua nesta década e fazer as outras coisas, não porque são fáceis, mas porque são difíceis.”
Presidente dos EUA John F. Kennedy, 1962.

                                                                              

A APLICAÇÃO DO MOONSHOT  THINKING NOS NEGÓCIOS.

Para galgar o inalcançável, as equipes devem exonerar-se da ideia de instituir uma melhoria incremental de 10% e se concentrar em uma solução que traga 10 vezes mais melhorias ou resolva-a completamente. A X Company se inspirou na paixão do Moonshot de Kennedy para representar o que fazem:

“Os maiores problemas do mundo não podem ser resolvidos com o pensamento incremental convencional. Na X, aprendemos que a inovação revolucionária acontece quando equipes apaixonadas de pessoas têm a audácia de desafiar as perspectivas umas das outras e buscar o aparentemente impossível.”

 Astro Teller, conhecido como “Capitão dos Moonshots” da X Company  ilustra bem como traduzir esse pensamento para seus negócios:

“Usamos a palavra Moonshot para nos lembrarmos de mantermos grandes nossas visões; para nos mantermos sonhando. E usamos a palavra fábrica para nos lembrar que queremos ter visões concretas — planos concretos para torná-las reais.”
Astro Teller

   

Teller, transformou o pensamento numa filosofia de vida que trata todos os dias como se fossem o último e mais importante para a sobrevivência. Aí está a mudança de perspectiva que tem o poder de engajar e motivar a equipe para fazer o melhor.

MOONSHOT THINKING  E AS INOVAÇÕES DISRUPTIVAS.

O Moonshot Thinking, desencadeou projetos que antes só víamos em filmes americanos que retratavam a ficção ou algo pertinente tão somente ao cinema. Vários projetos do mundo da ficção, chegaram ao mercado e continuarão a chegar como por exemplo: carros autônomos, Inteligência Artificial, realidade aumentada, processadores quânticos, óculos 3D,robôs que ajudam na limpeza de casa e das por drones nos seus mais diversos tamanhos e utilidades.

No caso do Google, essa filosofia e mentalidade incentivam os colaboradores a procurarem soluções não convencionais para grandes desafios — normalmente, não aqueles vinculados à fonte principal de receita da empresa, mas para novas ideias com potencial futuro.

Segundo Djenane Rocha, raciocinar de forma incremental normalmente conduz o conjunto de colaboradores  a pensar da mesma forma que sempre pensou, lançar mão dos mesmos tipos de soluções, vislumbrar os mesmos tipos de concorrentes e encontrar soluções similares para problemas que demandam muito mais criatividade e inovação.

Djenane, corrobora ainda, o que não se pensa com frequência é que uma mudança incremental pode ser tão ou mais difícil do que uma mudança mais disruptiva. Pensar e “jogar” dentro de uma área de segurança dificulta o processo de inovação das empresas e, consequentemente, afeta sua competitividade e sustentabilidade no longo prazo.Esse comportamento advém, em geral, da cultura existente na organização. Se não há liberdade para experimentar, arriscar e errar, as equipes atuam na zona de segurança, não ousam, chegam às mesmas soluções de sempre e ainda se tornam lentas e previsíveis.

APLICANDO O MOONSHOT THINKING NO AMBIENTE CORPORATIVO.

Mas, ainda mais importantes do que a fórmula, a metodologia ou o modelo são as pessoas. Para iniciar essa jornada junto com a organização, deve-se buscar um conjunto de talentos com a percepção aguçada que domine, a influencia na criação do ambiente, que busque causas primárias/raiz e faz o mais difícil primeiro, que seja  corajoso e ousado, que sonha com o impossível, mas tem um plano tangível e finalmente que seja  ágil no pensar e no agir. A feição deste tipo de colaborador tornou-se bastante desejável pelas empresas. Entretanto, desafios 10 vezes maiores requerem ainda outras habilidades: o pensamento estratégico e a liderança. Então, é o profissional X que consegue conduzir a equipe a alcançar resultados inimagináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *