Prefeitura de Itamarati se manifesta sobre operação realizada pela PC e MPE no município

A PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAMARATI vem de público, tendo em vista a malfadada “OPERAÇÃO” ocorrida no ultimo dia 09/07 pela Polícia Civil na cidade de Itamarati:

                        1 – O município realizou dois eventos durante o ano de 2018, o primeiro foi à festa de aniversário da cidade, ocorrida no inicio de fevereiro; o segundo foi o principal evento cultural do município, que durou cinco dias, e que envolve a soltura de quelônios, no mês de novembro;

                        2 – Para essas duas festas, a prefeitura contratou uma empresa para a realização dos eventos, englobando diversas atividades, como banda artística, sendo necessária a sonorização, iluminação, palcos, divulgação, fretamento de aeronaves, dentre muitas outras coisas; visto que não se faz comemorações dessa natureza apenas com a contratação de uma banda;

            3 – as festas foram realizadas, inclusive com a presença de representantes do Governo do Estado, visitantes de outros municípios e a própria população é testemunha. Os preços praticados pela empresa são valores de mercado, não houve superfaturamento e não é verdadeira a versão apresentada de forma televisa pelo Promotor de Justiça local, de que uma banda teria recebido mais de R$ 400.000,00 (quatrocentos mil reais) da prefeitura apenas para a realização do Show;

                        4 – No mais, os referidos processos já haviam sido entregues ao Promotor de Justiça, não se justificando a busca e apreensão de documentos que já estavam em poder do Ministério Público, além disso, a Prefeitura REPUDIA COM VEEMENCIA, a forma abusiva e autoritária como os policiais agiram em cumprimento ao mandato, inclusive extrapolando a determinação judicial, danificando patrimônio público e levando documentos que não possuíam qualquer referência com os processos.

                        A Prefeitura de Itamarati fará uso de todos os instrumentos jurídicos para esclarecer os fatos e representar contra aqueles que agiram de forma abusiva, inclusive se utilizando da mídia e redes sociais para se autopromoverem, fazendo acusações infundadas e se deixando levar por motivações políticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *