Mayara Pinheiro reforça importância da assistência às grávidas no AM

Durante Audiência Pública Virtual realizada nesta segunda-feira,22, a deputada Mayara Pinheiro (PP) ressaltou a preocupação com os números divulgados sobre as mulheres grávidas e puérperas, durante esta pandemia.

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), foram 201 casos, nesses três meses entre grávidas e puérperas com Covid-19. Ao todo, foram 15 mortes registradas, uma taxa de letalidade de 18,9 %.

“Um número estarrecedor que comprova como ficamos estagnados e fomos despreparados no nosso sistema de saúde, principalmente  com as nossas gestante. Na Comissão de Saúde e Previdência da Aleam, da qual sou presidente, recebemos diversas denúncias sobre a desassistência às grávidas e o desrespeito ao acompanhamento. Por isso, nosso objetivo aqui foi apresentar propostas para resolvermos esta questão essencial para a saúde materno infantil”, explicou.

A parlamentar complementou ainda que essa situação alerta para um problema ainda maior no Estado: a falta de um atendimento qualificado às grávidas e aos nascituros.

Pensando nisso, Mayara tem apresentado diversas propostas para buscar reduzir os índices de mortalidade materna e também humanizar os serviços.

Entre as propostas apresentadas estão a criação de uma política estadual de atendimento à gestante no Amazonas e também a  obrigatoriedade de priorização das  grávidas no Sisreg.

“Além disso, propus, em forma de requerimento ao Governo, a construção de uma maternidade na Zona Norte de Manaus, bem como construir  maternidades com equipes multidisciplinares nos municípios polos e subpolos do Amazonas. Dessa forma, vamos fortalecer nossa estrutura e poder atender de maneira mais digna todas as pacientes. É preciso darmos mais assistência ao pré-natal, e assim identificar riscos durante a gestação”, pontuou.

A reunião de hoje foi uma iniciativa da Comissão de Saúde e Previdência, em parceria com a Comissão da Mulher, da Família e do Idoso, presidida pela deputada Alessandra Campêlo (MDB) e  Defensoria Pública do Estado (DPE). Participaram ainda representantes de maternidades do Amazonas.

Na audiência, ficou decidido a realização de uma nova reunião, na próxima semana, sobre o tema com as secretarias municipal e estadual de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *