“Corrupção e OS andam lado a lado”, alerta Wilker após Governo anunciar contratação de Organização Social para administrar Hospital Francisca Mendes

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) denunciou nesta terça-feira, 26, em Sessão Ordinária virtual da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) que o Governo do Amazonas irá contratar uma Organização Social (OS) para administrar a Fundação Hospital do Coração Francisca Mendes, localizado na Zona Norte de Manaus. Para o parlamentar, o modelo de gestão escolhido pelo Executivo é uma afronta à sociedade, já que Organizações Sociais estão constantemente envolvidas em investigações e operações policiais que apontam indícios de corrupção em contratos da saúde pública em todo o País.

Em tom duro, Wilker criticou que a contratação de OS para administrar o Hospital Francisca Mendes coloca em risco tanto o dinheiro público quanto às vidas da sociedade amazonense que estão na unidade hospitalar, considerada referência em cirurgias do coração na Região Norte.

“Não podemos permitir que o Governo contrate OS para assumir o controle do Francisca Mendes. Hoje, o Brasil acordou com uma operação na casa do governador do Rio de Janeiro por causa de Organização Social. O Governo não pode brincar com o dinheiro do contribuinte porque OS não traz transparência. Corrupção e OS andam lado a lado nesse País”, explicou o deputado, citando a Operação Placebo, da Polícia Federal (PF), que cumpriu mandados de busca e apreensão na residência do Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sobre suspeitas de desvios na Saúde do Estado.

Alerta

 Wilker ainda ponderou que assim como a PF chegou ao Rio de Janeiro por conta de contratos milionários e com indícios de corrupção na saúde, o órgão também já deve ter ligado o alerta quanto as possíveis irregularidades praticadas no estado do Amazonas, que no mínimo são estranhas. A contratação da Organização Social (OS) Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas), feita pelo Governo do Amazonas, é outra suspeita.

De acordo com a publicação no DOE, o governador Wilson Lima assinou, no último dia 29 de abril, a autorização para o Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas) para oferecer serviços de saúde no Amazonas. Porém, no dia 13 de abril, o próprio Executivo rejeitou a oferta da OS, juntamente com outras três organizações.

“É assombroso como este Governo brinca com o povo amazonense. Habilitaram uma Organização Social envolvida em desvio de R$ 836 milhões no Rio de Janeiro para cuidar da saúde no Estado. Tudo na calada e isso é muito grave e perigoso”, alertou Barreto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *