Caso Miss Manicoré: suspeito confessa crime

Principal suspeito do feminicídio da miss Manicoré, Kimberly Mota, 22, o analista judiciário Raphael Fernandes Rodrigues, 31, confessou a autoria do crime, neste sábado (16/05), em depoimento na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs), da Polícia Civil do Amazonas. Foragido de Manaus desde o último dia 11 de maio, quando o crime ocorreu, Fernandes foi localizado na sexta-feira (15/05) em Pacaraima, a 214 quilômetros de Boa Vista, a capital de Roraima, enquanto tentava fugir para a Venezuela.

Em operação que envolveu policiais civis do Amazonas e de Roraima, o criminoso foi preso em um casebre em Pacaraima, onde estava escondido enquanto buscava formas de entrar ilegalmente na Venezuela. Ele chegou em Manaus na noite de sábado, trazido por policiais da Dehs.

O delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Tarson Yuri Soares, afirmou que as investigações foram realizadas de forma célere e a prisão do suspeito demonstra a pronta-reposta da força tarefa montada pelas polícias dos dois estados. “As diligências foram feitas, o poder judiciário emitiu o mandado de prisão e as equipes policiais lograram êxito em prender o suspeito do crime. Portanto, tivemos um desfecho rápido e louvável atuação das forças de segurança”, comentou.

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da Dehs, em depoimento o suspeito relatou que, após cometer o crime, chegou a ligar para o pai admitindo o assassinato. Ele teria sido aconselhado a se entregar, mas preferiu manter os planos de fugir do país. O analista saiu de carro, de Manaus, pela BR 174. No caminho, jogou o telefone da vítima em uma área de mata. Raphael ainda tentou entrar no país vizinho, mas não conseguiu por conta das restrições em virtude da pandemia.

“Ele pediu refúgio a venezuelanos que moram na fronteira e passou esses dias escondidos lá. Na volta dele da fronteira, ele foi reconhecido e a polícia fez a prisão”, informou. 

O delegado agradeceu aos policiais civis e militares de Roraima, Inteligência e Dicap, e Polícia Rodoviária Federal (PRF), que formaram uma força tarefa para prender o suspeito.

“Ele é réu confesso. Ele diz que viu algumas mensagens no telefone dela, essas mensagens o aborreceram, então, ele foi na cozinha e buscou uma faca, deitou ao lado dela na cama com o objeto escondido e, na distração dela, ele deu a primeira facada”, disse Paulo Martins.

Conforme a delegada adjunta da DEHS, Zandra Ribeiro, o suspeito está acompanhado de um advogado e prestou depoimento à polícia na noite de sábado. Raphael foi autuado por homicídio qualificado.

O crime – Conforme o depoimento do suspeito, após desferir as facadas, ele tentou carregar a vítima para retirar o corpo do apartamento e escondê-lo. Ele chegou a lavar o corpo da jovem, mas após perceber que não conseguiria retirar a vítima do local, trocou de roupa e fugiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *